segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Twitter e eu - reflexão final

20 dias depois....

Reflexão final sobre a utilização da ferramenta que, obrigatoriamente, deverá explicitar os seguintes pontos:

- Opinião pessoal sobre a ferramenta
Depois dessas três semanas intensas de interação, percebi o quanto o Twitter pode ser usado para aproximar as pessoas interessadas no mesmo assunto. Durante as últimas três semanas, trocamos informações sobre as funcionalidades da ferramenta e aprendemos os conceitos mais comuns, tais como, hashtags, tweets, retweets, timeline, mentions, lista, @, #, entre outros tantos. Fomos provocados a analisar diferentes perfis disponíveis no Twitter e indicar os que mais agradavam. Fomos apresentados a vários recursos que nos auxiliam no gerenciamento de tantas informações, HootSuite, integração com Diigo, Google Reader, Scoot.it e tantos outros recursos. Por fim, pudemos acompanhar o MyMpel sem precisar estar presente fisicamente ou virtualmente. Conclusão....Acho que me apaixonei pelo Twitter.


- Potencial da ferramenta no seu contexto profissional
Depois da experiência na UC AVA, existe uma Rita antes Paulo Simões e depois Paulo Simões. Agora percebo as potencialidades do Twitter no contexto profissional quando podemos utilizá-lo tanto para manter a equipe informada sobre um determinado assunto, compartilhar informações, links e outros ou explorá-lo como um "chat assíncrono", como sugerido pela nossa coleta @ceciliatomas no seu post sobre o uso do Twitter durante o MyMpel.

- Comparação com outras ferramentas similares
Quais ferramentas similares? Temos outras formas de intereção na rede, como o Facebook, Google+, Orkut, etc., porém não vejo nenhuma ferramenta que ofereça tanto dinamismo quanto o nosso querido Twitter ;)

3 comentários:

  1. Muito obrigado Rita. Se há uma nova pessoa, a si e ao seu trabalho se deve. Eu só ajudei ;)
    Espero que continue com essa vontade.

    Paulo Simões

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Paulo Simões, você tem razão...somos responsáveis por nossas transformações mas elas são muito mais fáceis quando encontramos pessoas dispostas a nos ajudar. Mais uma vez, obrigada pela sua orientação. Abs

    ResponderExcluir